O Centro Espírita

-Espíritos todos nós o somos! 

-Espíritas, nem todos!

-O centro espírita, tal como nós o conhecemos, é o espaço físico em que os Espíritos, encarnados e desencarnados, espíritas e não espíritas, se reúnem para, à luz da Doutrina Espírita, estudar.

-No centro espírita não se faz proselitismo! O centro espírita, distante de ser um templo religioso ou uma igreja é antes um educandário, um hospital escola de feição cristã, onde todos são bem vindos especialmente os desprovidos de qualquer fé, ou enfraquecidos na que possuam!

-Podem fazer parte de suas reuniões, cristãos e não cristãos – católicos, protestantes, muçulmanos – entre outros, sem deixarem seus cultos religiosos nas igrejas e templos de sua filiação, conforme o assevera Allan Kardec no livro “O que é o Espiritismo”. Leiamos esta obra!

-As reuniões nos centros espíritas formam um centro de convergência de interesses; nelas as criaturas, pela exposição e debate das idéias sobre os variados temas de cunho filosófico, científico e religioso, de que trata a Doutrina Espírita, encontram o esclarecimento que buscam, com vistas a se libertarem do desconforto de que se acham possuídas, pois o Espiritismo liberta pelo esclarecimento!

-Os trabalhos de passes e o uso da água fluidificada nos centros espíritas, sob as orientações do Espiritismo, são coadjuvantes eficazes no tratamento das mazelas das criaturas que buscam um lenitivo para suas dores.

-Alguns centros espíritas, sem deixarem de ser Espíritas, é sabido, utilizam a cromoterapia, associada aos passes e à doutrinação clássica, além da água fluidificada, em suas reuniões de atendimento! 

-O centro espírita de que estamos falando é só Espírita! Não é centro espírita de mesa, nem de mesa branca! Alguns assim o tratam, certamente por ignorância, e outros o fazem por má fé, são estes últimos, detratores do Espiritismo, que insistem em dogmatizar os centros para melhor combatê-los, assim como o fazem com o próprio Espiritismo! Se a mesa no centro é branca; se branca é a sua toalha, possivelmente, seja porque a tinta branca, a fórmica branca e a toalha branca custem menos, por não conterem pigmentação ou estampa em suas composições! 

-No centro espírita também não há “porquê” ninguém usar vestimentas brancas em nenhuma de suas reuniões! Não há lugares sagrados como sacrários e altares! Não há culto a imagens de quem quer que seja! Não se usa fazer oferendas, nem se usa acender velas, incensos ou defumadores! Inexistem obrigações ou proibições aos espíritas e aos não espíritas! Não se utilizam bebidas alcoólicas nas reuniões! Não há organização sacerdotal de espécie alguma! Não há sacramentos como casamentos, batizados, extrema unção; nem há exorcismos! Não se usam acessórios como amuletos, patuás, escapulários, terços ou rosários! Não há cânticos para ato algum! Não se curte a crença no diabo, capeta ou satanás! 

-Nos centros espíritas em que ocorrem procedimentos contrários aos postulados do Espiritismo, certamente ocorrem por conta da ignorância de seus dirigentes e, em razão também desta, pela aceitação de orientações de “guias” de baixa elevação espiritual, ainda apegados às formas! Nada disso deve fazer parte das atividades do Centro Espírita!

Luiz Roberto Abdo

(Membro da Associação Espírita São João e São Paulo)